post-title Casa de Lavoura e Oficina do Linho – Viseu

Casa de Lavoura e Oficina do Linho – Viseu

Casa de Lavoura e Oficina do Linho – Viseu

Casa de Lavoura e Oficina do Linho – Viseu

A Casa da Lavoura e Oficina do Linho é um museu etnográfico que está instalado no espaço original de uma casa de lavrador de posses abastadas na localidade de Várzea de Calde a cerca de 20 km de Viseu.

O principal objetivo da Casa da Lavoura é a salvaguarda e preservação do linho e da lavoura tradicional, cuja missão é dar a conhecer as tradições e rituais existentes nesta área.
A Casa de Lavoura e Oficina do Linho, também conhecido por Museu de Várzea de Calde, resulta da requalificação de uma antiga Casa de Lavoura, cuja requalificação não decorreu de forma isolada, mas sim a par de um outro projeto designado “Contrato de Aldeia”. Esta iniciativa, mais global, enriqueceu o contexto em hoje se insere o museu, ao incluir a recuperação e valorização de um conjunto de elementos que constituem a identidade da aldeia de Várzea. Espigueiros, canastros e palheiras, um adro com capela, um fontanário e um conjunto de casario com caraterísticas representativas da cultura e dinâmica da aldeia são exemplos dos objetos de intervenção.

A Casa de Lavoura e Oficina do Linho visa, assim, dar a conhecer a sua natureza etnográfica, sobretudo pela ligação à cultura do linho e às atividades da lavoura.

Neste espaço estão recriadas as vivências do quotidiano agrícola da região em áreas como:

O pátio de serventia – local de transição par os vários edifícios

O curral do porco – o porco é um dos animais mais presentes nos ambientes domésticos rurais que habitava nos currais nos baixos das casas num espaço com uma pia de pedra e cama de palha. A matança do porco era tradicionalmente um ato festivo que juntava toda a família. A carne era conservada na salgadeira e as peças de fumeiro secas na lareira.

O lagar, a adega e a tulha – aqui o agricultor guardava as arcas cheias de milho, as taleigas com feijão e grão, a salgadeira com a carne de porco e a pia do azeite. Podem-se observar ainda o lagar de vara tradicional medieval, os pipos e os utensílios relacionados com as vindimas e a apanha da azeitona.

A cozinha tradicional – é o mais importante espaço da casa rural, o mobiliário é constituído por um armário de madeira (cantareira), uma mesa com banco comprido e banquinhos para apreciar a lareira. Neste espaço pode-se observar a louça de serviço e as panelas de ferro.

O forno Caseiro – local dedicado à confecção do pão, alimento de referência em qualquer refeição.

O lugar do tear – o ciclo do linho era um complemento da atividade agrícola que ocupava cem dias entre a sementeira e o arranque. Neste espaço pode-se observar as várias tarefas desde a curtimenta até ao tecer onde o tear merece lugar de destaque bem como as peças de linho produzidas.

Na casa da lavoura pode-se ainda contemplar as várias alfaias agrícolas, o canastro e outros ligados ao mundo rural e à tecelagem do linho.
O espaço compreende ainda uma sala para dinamização de ateliers mediante marcação prévia, uma cafetaria com esplanada e uma loja, na qual se pode adquirir produtos biológicos regionais e diferentes peças em linho.

Horário de funcionamento

Terça: 14h00 – 18h00
Quarta a Domingo: 10h00 – 13h00 | 14h00 – 18h00

Mais Informações:

Calçada do Eirô, Nº18 Várzea
Calde – Viseu
Telef. 232 911 004
[email protected]

Fonte: https://www.continuandoaprocura.com/casa-de-lavoura-e-oficina-do-linho-viseu/

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos requeridos estão marcados com *

Portfolio  |  Info: There are no items created, add some please.
Loading…